MP realiza reunião para tratar de falhas na oferta de serviços públicos em Novo Horizonte

O Ministério Público de Rondônia realizou reunião com integrantes do Poder Executivo do Município de Novo Horizonte do Oeste para tratar de demandas da população que aportam ao MP, envolvendo a prestação de serviços públicos naquela cidade, em especial nas áreas de saúde e educação.

Ocorrida na última segunda-feira (11/02), em Nova Brasilândia, a reunião foi conduzida pelo Promotor de Justiça Felipe Miguel de Souza, com a presença do  prefeito Cleiton Adriane Cheregatto e dos secretários de Saúde e de Educação, João Silva e Geldiane Sabino, respectivamente, tendo como temas a oferta de medicação de alto custo; transporte de pacientes; exames de alto custo; falta de médicos; transporte e merenda escolar, entre outros assuntos.

A respeito da falta de médicos em Novo Horizonte, onde, atualmente, há carência de profissionais até mesmo para cumprimento de plantões, a equipe do Município informou que o problema foi causado pelas recentes alterações no Programa Mais Médicos. Na ocasião, o secretário de Saúde falou das dificuldades na contratação de médicos por municípios de pequeno porte, mas relatou estar em tramitação  a realização de concurso público para suprir as necessidades da região.

João Silva também afirmou aguardar atuação do Ministério da Saúde no sentido de contratar novos médicos, via Programa Federal.

Quanto às falhas na prestação de transporte escolar, o prefeito Cleiton Cheregatto disse que estão sendo adotadas providências para a aquisição de novos veículos para o serviço. Até meados do ano que vem, segundo ele, a previsão é de que o Município esteja dotado de uma frota composta por oito ônibus, fazendo com que a demanda pelo serviço seja atendida pela municipalidade, sendo reduzida ou dispensada a contratação de empresas terceirizadas.

O prefeito também falou sobre melhorias implementadas na merenda escolar servida nas escolas e de providências adotadas para o aprimoramento da estrutura das instituições de ensino.

Autor / Fonte: MP-RO

Comentários

Leia Também

 
Loading...