35ª edição do projeto samba autoral será em homenagem a Nelson Cavaquinho

 ”...Do mal, será queimada a semente. O amor será eterno novamente...”  (trecho de Juízo Final, uma das grandes obras de Nelson Cavaquinho, homenageado desta edição)

Queimaremos todo o mal com muito Samba, Harmonia e Poesia...

Assim será a 35ª Edição do Projeto Samba Autoral, que acontecerá neste sábado dia 4 de agosto. Como sempre a partir das 14:00 horas, o Bar do Calixto, ponto de encontro de bambas da cidade Porto Velho, junto com a Família Asfaltão, realizadora do Projeto, estará de braços e corações abertos para receberem os amigos e Amigas amantes deste segmento musical.

CONVIDADOS ESPECIAIS

Com a presença do cantor e compositor amazonense, Junior Rodrigues, acompanhado do também compositor e cavaquinista Pedro Donadio, também de Manaus, o Projeto Samba Autoral deste sábado, será um pouco diferenciado, pois além da tradicional roda de samba, das composições autorais de nossos valores, teremos também a apresentação de Junior Rodrigues, grande parceiro e amigo, responsável pelo projeto manauara, denominado: “Samba Sempre”, que coleta composições da Região Norte em CD.

TRIBUTO A NELSON CAVAQUINHO

Ainda, durante as apresentações dos sambas autorais, faremos a homenagem do mês ao grande músico e compositor Nelson Cavaquinho.

UM POUQUINHO DE NELSON CAVAQUINHO

Nelson Antônio da Silva, conhecido pelo nome artístico de Nelson Cavaquinho, nasceu no Rio de Janeiro em 29 de outubro no ano de 1911. Partiu para o outro plano em 18 de fevereiro de 1986.

Foi um importante músico brasileiro. Sambista carioca, compositor e cavaquinista na juventude. Na maturidade optou pelo violão, desenvolvendo um estilo inimitável de tocá-lo, utilizando apenas dois dedos da mão direita.

Seu envolvimento com a música inicia-se na família. Seu pai, Brás Antônio da Silva, era músico da banda da Polícia Militar e seu tio Elvino tocava violino. Depois, morando na Gávea, passou a frequentar as rodas de choro. Foi nessa época que surgiu o apelido, que virou nome artísitico que o acompanharia por toda a vida.

Casou-se por volta dos seus 20 anos com Alice Ferreira Neves, com quem teria quatro filhos e na mesma época consegue, graças a seu pai, um trabalho na polícia fazendo rondas noturnas a cavalo. E foi assim, durante as rondas, que conheceu e passou a frequentar o morro da Mangueira, onde conheceu sambistas como Cartola e Carlos Cachaça.

Deixou mais de quatrocentas composições, entre elas clássicos como "A Flor e o Espinho" e "Folhas Secas", ambas em parceria com Guilherme de Brito, seu parceiro mais frequente. Por falta de dinheiro, depois de deixar a polícia, Nelson eventualmente "vendia" parcerias de sambas que compunha sozinho, o que fez com que Cartola optasse por abandonar a parceria e manter a amizade.

Sua primeira canção gravada foi "Não Faça Vontade a Ela", em 1939, por Alcides Gerardi, mas não teve muita repercussão. Anos mais tarde foi descoberto por Cyro Monteiro que fez várias gravações de suas músicas. Começou a se apresentar em público apenas na década de 1960, no Zicartola, bar de Cartola e Dona Zica no centro do Rio. Em 1970 lançou seu primeiro LP, "Depoimento de Poeta", pela gravadora Castelinho.

Suas canções eram feitas com extrema simplicidade e letras quase sempre remetendo a questões como o violão, mulheres, botequins e, principalmente, a morte, como em "Rugas", "Quando Eu me Chamar Saudade", "Luto", "Eu e as Flores" e "Juízo Final".

Com mais de 50 anos de idade, conheceria Durvalina, trinta anos mais moça do que ele, sua companheira pelo resto da vida. Morreu na madrugada de 18 de fevereiro de 1986, aos 74 anos, vítima de um enfisema pulmonar.

No carnaval de 2011 a escola de samba G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira homenageou Nelson Cavaquinho pelo seu centenário. "O Filho Fiel, Sempre Mangueira" é o nome do enredo que a agremiação levou para a avenida, a este saudoso músico mangueirense.

Este tributo retratará a gratidão de nossos compositores e compositoras ao legado deixado pelo grande Nelson Cavaquinho.

Vamos lá!!

Será neste sábado dia 04/08/2018, a partir das 14 horas, no Bar do Calixto.

Vale a pena conferir, pois será uma tarde de boas vibrações que irradiarão energias positivas.

Autor / Fonte: ASCOM

Leia Também