Lava-Jato retoma investida contra os corruptos, pasta da saúde estadual já tem nome para o cargo, delegado Arismar disputa eleição em Pimenta

 

Federal – Após um período de “refresco” a Operação Lava-Jato, que tinha a frente o juiz federal Sérgio Moro, que assumirá a partir de janeiro do próximo ano o Ministério da Justiça volta a predominar o noticiário nacional. Esta semana foram presos dez deputados estaduais do Rio de Janeiro e hoje (9), o empresário Joesley Batista (Grupo JBS) e o vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (MDB) na ação denominada Capitu. Motivo: suspeita de envolvimento em corrupção, lavagem de dinheiro, etc. Isso sinaliza que até o final do ano, muita água, nem sempre muito limpa irá rolar embaixo da ponte. Quem tem culpa no cartório, que se cuide.

Lava-Jato – Há quem acredite que com Moro ministro a Lava-Jato irá ficar no esquecimento e os políticos, assessores e empresários corruptos leves e soltos. Engano. Ministro e com a Política Federal à disposição os dois próximos anos será de intenso combate aos corruptos, praga que há tempos predomina no país com sérios prejuízos para a população ordeira e cumpridora dos seus compromissos. A expectativa é grande com a chegada do novo governo e principalmente como o “São” Mouro na Justiça.

Rondônia – A situação não será diferente no Estado. O governador-eleito coronel Marcos Rocha (PSL), que chegou ao cargo sem a necessidade de parcerias com nenhum outro partido, graças ao líder maior do partido, o presidente-eleito, Jair Bolsonaro tem toda a liberdade para compor seu secretariado. O governador Marcos demorou, mas nomeou a equipe de transição e vem sofrendo críticas, pela presença de pessoas sem um currículo “ficha limpa”. Ninguém tem estrela na testa e é impossível agradar a todos.

Secretariado – Marcos Rocha também recebe críticas constantes, porque não anunciou publicamente, nenhum nome, que irá compor sua futura equipe de governo. Quando anunciar certamente será bastante criticado, o que é normal dentro de um processo político, que ele não conhece e cheio de dificuldades, mesmo para quem tem experiência na área, que não é o caso de Rocha. A torcida é que acerte mais e erre menos. Não há nada 100%, mas o equilíbrio é fundamental para o governador Marcos Rocha, que terá a árdua missão em administrar um Estado, ainda, em fase de desenvolvimento e vocacionado para agronegócio.

Secretariado II – Há dias vem sendo especulado na coluna, que pelo menos dois nomes já estariam definidos com membros da futura equipe administrativa do governador-eleito Marcos Rocha. Evandro Padovani seria o nome para a pasta da Agricultura e Liana da Silva Almeida de Luna para a Educação.  Ela é especialista na área educacional. Hoje já é possível acrescentar mais um nome na relação de “prováveis” membros de futura equipe de Rocha: o médico Fernando Máximo, para a pasta da Saúde. Já o nome do radialista Lenilson Guedes, também citado pela coluna, que em breve estará recebendo o título de Cidadão Honorário de Rondônia, volta a ser comentado para a Superintendência de Comunicação-Secom.

Respigo

O (ex-governador, senador, deputado constituinte e prefeito de Ji-Paraná), José Bianco está há dias na Austrália. Bianco visita a filha, que casou com australiano e deverá retornar a Rondônia em breve +++ A eleição suplementar a prefeito e vice de Pimenta Bueno movimenta a população do importante polo têxtil do Estado. O delegado da Polícia Civil, Arismar Araújo é um dos candidatos ao cargo máximo do Poder Executivo municipal na eleição de 9 de dezembro próximo +++ Após 4 dias o governador Daniel Pereira (PSB) demitiu o titular e o adjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Hamilton Santiago Pereira e Osvaldo Luiz Pitaluga, respectivamente. Eles foram presos na Operação Pau Oco, realizada pela Polícia Civil (PC) em Rondônia +++ Os presos são acusados da prática de crimes como integrar ou chefiar organização criminosa, falsidade ideológica, lavagem de capitais e crimes contra a administração ambiental. É a corrupção que campeia neste país que dilacera o patrimônio público em favor de grupos organizados para fraudar a população. .

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Leia Também

Loading...

Comentários