México suspende companhia de avião que caiu em Cuba

México suspende companhia de avião que caiu em Cuba

A autoridade de aviação civil do México suspendeu nesta segunda-feira (21) as operações da Aerolíneas Damojh, companhia dona do Boeing 737-200 que caiu em Havana logo após decolar na última sexta (18), matando 110 pessoas -três sobreviventes estão em estado grave no hospital.

As causas do acidente, o pior em Cuba em quase 30 anos, estão sendo investigadas. A suspensão da Damojh, que voa sob o nome Global Air e havia arrendado o avião em questão para a Cubana de Aviación, ocorre para que o governo mexicano se certifique de que a empresa vinha seguindo as regulações de segurança.

Na sexta, o México havia informado que o Boeing 737-200 passou por uma vistoria em novembro e nenhuma ocorrência fora registrada.

A aeronave tinha 39 anos de idade. Esse modelo de 737, fabricado entre 1968 e 1988, não é mais utilizado por nenhuma companhia no Brasil, nos EUA e na Europa.

Em entrevista ao jornal mexicano Milenio, um ex-piloto da Damojh, Marco Aurelio Hernandez, afirmou que havia reportado à chefia diversos problemas com aviões da companhia, incluindo o 737-200 que caiu em Cuba.

"Eu testemunhei vários incidentes nessa companhia, como falhas elétricas ou dos motores quando decolamos do México em uma ocasião", disse Hernandez ao Milenio.

As autoridades de aviação civil da Guiana já haviam proibido esse mesmo avião da Damojh de sobrevoar o país no ano passado após serem encontradas bagagens empilhadas nos banheiros do avião, com o conhecimento da tripulação. À época, a aeronave estava arrendada para uma companhia de Honduras

Autor / Fonte: Folhapress

Leia Também

 
Loading...