Opinião – A triste realidade do trânsito caótico de Porto Velho

Opinião – A triste realidade do trânsito caótico de Porto Velho

Porto Velho, RO – Porto Velho é só o nome, mas a cidade tem uma das maiores frotas de veículos zero quilômetro do país. Proporcionalmente, se não for a primeira, está entre elas.

Lamenta-se que Porto Velho também está entre as cidades onde há a maior incidência de infrações de trânsito, a maioria delas proporcionada por motoqueiros. Não confundir com motociclista.

Circular pelas ruas e avenidas da capital de Rondônia é uma missão hercúlea. Estacionar um veículo no quadrilátero central é uma missão quase impossível. As placas de estacionamento regulamentado existem desde a primeira administração do ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT), mas são decorativas.

A sinalização é precária, seja vertical, horizontal ou aérea. A maioria dos semáforos está sem sincronia. Vários estão colocados de forma errada nos cruzamentos dificultando a visualização. Complica mais do que facilita.

A fiscalização não existe. Poucos respeitam os semáforos e vias preferenciais, nem mesmo os agentes de trânsito da administração anterior (Mauro Nazif-PSB) estão trabalhando. Na época só multavam de forma indiscriminada, hoje nem isso, desapareceram e não fazem nem figuração, para inibir o motorista ou motoqueiro irresponsável. O trânsito é violento, moroso e confuso.

A função mais importante da Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran) seria orientar, chamar a atenção, promover campanhas educativas, colocar agentes em pontos estratégicos, para que as irregularidades sejam evitadas.

Por que a Companhia de Trânsito da Polícia Militar não está trabalhando no trânsito? O convênio com a prefeitura foi renovado? Ele existe? O PM no trânsito inibe e evita que os irresponsáveis pratiquem irregularidades.

A verdade é que o trânsito de Porto Velho continua uma bagunça generalizada onde cada um faz a sua “lei” e quem deveria fiscalizar, orientar e se for o caso multar, apreender o veículo e até prender o irresponsável está ausente das ruas.

O “mago” Marden Ivan de Carvalho Negrão, o expert em trânsito “importado” pelo prefeito Hildon Chaves não aguentou um ano na Semtran. Nada fez de concreto a não ser receber um gordo salário e as benesses de um secretário municipal.

Estamos caminhando para o final do primeiro mês do segundo ano da administração Hildon Chaves. No trânsito pouco ou quase nada foi feito. Cidades com menos de 100 habitantes já contam com estacionamento regulamentado em áreas centrais, de grande movimento, inclusive controle eletrônico e Porto Velho continua no tempo dos zagais. Porto Velho nem fiscalização.  

O trânsito maluco da capital, onde motoqueiros circulam a mais de 80 quilômetros em ruas e avenidas do centro e não respeitam o pouco que há de sinalização favorece acidentes. O índice é elevadíssimo. O povo espera mais da administração que recebeu mais de 65% dos votos válidos.

Mais Dr. Hildon... Mais... 

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Leia Também