Opinião – Eles não levaram, mas...



Porto Velho, RO –
Embora não tenham conquistado os respectivos cargos aos quais disputaram, o professor Vinícius Miguel (REDE), a vereadora Cristiane Lopes (PP) e o empresário do Cone Sul Jaime Bagattoli (PSL) – este arrastado pela ‘onda Bolsonaro’ – saíram das eleições 2018 como novos expoentes da política rondoniense.


'Fenômeno' Vinícius Miguel é nova liderança política consolidada em Rondônia

Vinícius Miguel (REDE)


Concorrendo pela primeira vez a um cargo eletivo, o jovem advogado desbancou todos os adversários na corrida pelo Governo de Rondônia em Porto Velho. Na Capital, Vinícius Miguel alcançou 69.820 votos, 30,28% da margem válida, contra 46.938 do Coronel Marcos Rocha (PSL), com 20,35%, segundo lugar na cidade das Três Caixas D’Água.

São exatos 22.882 votos de diferença, para se ter ideia.


Vinícius Miguel manteve a dianteira em boa parte da apuração dos votos

Mas não é só isso.

A votação total do postulante chegou a 110.585, portanto 40.765 votos vieram do interior rondoniense, inserindo-o como novíssimo expoente, liderança consolidada de Porto Velho em condições de disputar e ganhar qualquer cargo, desde que use com sabedoria a imagem que criou após os debates televisionados durante a campanha.


Cristiane Lopes: quando criatura supera o criador

Cristiane Lopes (PP)

Trazida à política pelo ‘padrinho’ Aélcio da TV, também do PP, a figura de Cristiane Lopes brilhou muito mais que a dele nestas eleições. Aliás, se o ritmo de crescimento eleitoral da jornalista continuar em franca ascensão daqui a pouco o deputado estadual reeleito terá de trocar os papéis para se manter no Poder.

A profissional bateu a casa dos 20 mil votos, deixando para trás a até então campeã de votos Marinha Raupp (MDB), que também ficou de fora.

Aliás, é bom lembrar que em 2016 Cristiane Lopes foi eleita vereadora por Porto Velho na décima posição entre os 21 concorrentes. À ocasião, ficou à frente do filho de Aélcio, Luan da TV, o 12º colocado.


'Efeito Bolsonaro' quase tira o doce da boca de Confúcio Moura

Jaime Bagattoli (PSL)

O empresário Jaime Bagattoli, do partido de Bolsonaro, como costuma dizer o Coronel Marcos Rocha, que foi ao segundo turno repetindo exaustivamente o nome do presidenciável, também foi levado pela onda bolsonarista.

Após 100% das urnas apuradas, Bagattoli quase passou Confúcio Moura, do MDB, que acabou em segundo lugar, bem distante de Marcos Rogério (DEM).

O ex-governador fez 18.284 votos a mais que o adversário do PSL, mas a porcentagem entre um e outro deixa claro que o emedebista se safou por pouco: 1,36%, para ser exato.

Se o efeito 17 perdurar, Jaime Bagattoli terá condições de se firmar no cenário político de Rondônia, pois já figura como fortíssima liderança do Cone Sul.

Autor / Fonte: Rondoniadinamica

Leia Também

Loading...